Três livros que falam sobre suicídio

Olá. 

Em homenagem ao Setembro Amarelo, que é o mês da conscientização ao suicídio, decidimos trazer três livros que falam de forma muito profunda sobre esse tema.

  • A playlist do Hayden - Michelle Fulkoff
Fonte: Skoob

Este livro conta a história do Sam, um menino que tinha um melhor amigo chamado Hayden. Os dois sempre se entenderam, eram os nerds que não se encaixavam em lugar nenhum a não ser um com o outro. Até que uma noite tudo mudou e os dois acabam tendo uma briga. No dia seguinte Sam vai para a casa do Hayden para fazer as pazes, mas acaba encontrando o amigo morto e um playlist com um recado "Leia e Você entenderá". A partir daquele momento Sam se vê sozinho, sem seu melhor amigo e tendo que enfrentar a escola, escutando a playlist várias vezes e tentando entender o que levou o amigo a cometer suicídio. 

Esse livro é muito profundo e fala sobre bulling, perda e raiva. Durante a história Sam vai passando pelas 5 fases do Luto, tentando descobrir como seguir com a vida sem a pessoa que mais esteve presente nela. O livro ainda consegue ser bem reflexivo e emocionante, ao mesmo tempo em que mostra bastante esperança e fala como seguir em frente pode ser complicado, mas é possível.  

O livro também serve como uma crítica ao sistema de hierarquia escolar e a pressão sobre os jovens para entrarem na faculdade e sempre serem os melhores em tudo. Além, é claro, de falar sobre o que leva uma pessoa a cometer suicídio e como ficam as pessoas que esta deixou para trás. Com certeza uma leitura que vale muito a pena.

  • Meu Coração e outros Buracos Negros - Jasmine Warga
Fonte: Skoob

Este livro conta a história de dois jovens que desejam se matar. 

A narradora do livro é a Aysel, uma jovem de 16 anos que só pensa em uma coisa: suicídio. Ela tem o desejo, mas não quer fazer isso sozinha, então entra em sites de suicídio à procura de um parceiro, e assim acaba encontrando Roman, um jovem de 17 anos que também deseja se matar. Os dois marcam tudo: local, horário, dia e forma. Entretanto, ao contrário do que devem estar pensando, o livro não é um manual de como se matar. Na verdade é um livro sobre esperança e amor. Com o passar dos dias, Aysel acaba encontrando forças para continuar vivendo, agora só falta convencer Roman disto.

O livro tem uma escrita muito profunda, mas ao mesmo tempo leve. A autora consegue mostrar, com detalhes, o que passa na cabeça de alguém que pensa em se matar, de uma maneira que todos conseguimos entender e até simpatizar. Os motivos que levaram Aysel e Roman a quererem se matar podem parecer bobos para quem está do lado de fora olhando, mas com a narrativa da Aysel, você consegue entender melhor o que realmente está acontecendo. 

O livro mostra que suicídios não acontecem do nada e na verdade são acúmulos de meses ou até anos de sofrimento escondido e problemas que vão se acumulando. A autora mostra como uma esperança é capaz de mudar tudo. A mensagem deste livro não é "O amor cura tudo", na verdade é "Com a esperança posso viver mais um dia". O que vimos no livro é o começo de uma longa caminhada, o que é a realidade de pessoas que desejam continuar vivendo, mas estão passando pela depressão, que é o caso dos jovens deste livro. 
  • O Último Adéus - Cynthia Hand
Fonte: Skoob

Neste livro temos a protagonista Lex, uma jovem de 18 anos que começa a ir à terapeuta depois da morte do seu irmão muito querido, Tyler, ao mesmo tempo em que também tem que lidar com o divórcio dos pais e entrada na universidade. Ela e o irmão eram muito unidos e sempre estiveram juntos, e mesmo depois de sete semanas, Lex ainda luta e se sente vazia. 

O livro narra uma parte da trajetória de recuperação da Lex. Como em A playlist do Hayden, esse livro lida com as 5 fases do luto e como a vida pode continuar quando uma pessoa que você amava tanto não está mais nela. O livro também fala de depressão de uma forma bem real. Todo o livro é emocionante, e no fim ele pode acabar arrancando algumas lágrimas do leitor (na verdade todos os livros desta lista podem provocar lágrimas).


Essas foram as dicas de hoje. Lembrando que se você conhece alguém, ou está passando por algo assim, ligue no CVV (Centro de Valorização da Vida) no número 141, que sempre terão pessoas para falar com você e te ajudar nestes momentos difíceis. Existe ajuda. Você não está sozinho ou sozinha.

Comentários