Perfil do Biblioterapeuta

Na semana passada falamos sobre a biblioterapia e suas principais características. No texto dessa semana falaremos sobre o profissional biblioterapeuta.
Esse profissional indica obras que promovam um desenvolvimento pessoal em seus pacientes, ajudando eles a enfrentar seus problemas pessoais, sendo uma forma de estimular também a interação com outras pessoas com os mesmos problemas. Vale a pena ressaltar que o biblioterapeuta não substitui um profissional da área psiquiátrica, pessoas com problemas mentais mais graves devem procurar um psicólogo ou psiquiatra, o biblioterapeuta é mais como um “farmacêutico” onde ele possibilita o acesso aos materiais e algumas ocasiões indica obras.
O profissional que quiser exercer essa função de biblioterapia, deve procurar algum curso de especialização e ter vocação para área social. O profissional biblioterapeuta deve ser alguém que aprecie fortemente as vertentes sociais e tenha interesse em trabalhar constantemente com pessoas de diferentes idades e diferentes problemas, sempre buscando conciliar sua graduação (bibliotecário, assistente social, psicólogo e etc..) com sua atuação.
                        Durante muito tempo se discutiu se o bibliotecário poderia atuar como biblioterapeuta. Esse questionamento surge devido ao fato de praticamente nenhuma preparação durante a graduação (principalmente conhecimentos sobre psicologia).
 No entanto, as grades mais recentes de biblioteconomia incluem disciplinas sócio humanísticas que preparam o bibliotecário e passam por elementos importantes para quem deseja seguir a biblioterapeuta, por exemplo no curso de biblioteconomia da Universidade Federal de Goiás são ofertadas disciplinas como “leitura e sociedade”, “psicologia, educação e cultura”, “fundamentos da educação”. Mesmo não sendo disciplinas que falem de biblioterapia propriamente, elas apresentam ao estudante conceitos básicos de psicologia, de leitura e de aspectos culturais. O biblioterapeuta é um profissional social, ele deve estar atento as realidades do seu grupo de usuários para poder fazer uma seleção mais precisa sobre os materiais.
Quem deseja obter mais conhecimentos sobre biblioterapia, existem vários cursos sobre o assunto, alguns inclusive podem ser feitos a distância.  A maioria desses cursos são curtos e apresentam de maneira geral, os princípios da biblioterapia, alguns apresentam materiais recomendados.
A escolha de ser um biblioterapeuta deve ser feita conscientemente. Antes de escolher essa linha de atuação, pare e pense um pouco: você gosta de trabalhar com pessoas? Você possui
algum tipo de preconceito literário? Você entende a importância que um profissional dessa área pode ter na vida de alguém que tem, por exemplo, depressão? Faça-se essas perguntas quando pensar nessa linha de atuação.
            Com esse texto, encerramos o mês de setembro. Abaixo estão anexados alguns links uteis sobre o assunto.

LINKS ÚTEIS:

Comentários